Futucando Notícias

MENU
Logo
Terça, 04 de agosto de 2020
Publicidade
Publicidade

Policial

Dono da Ricardo Eletro é preso em SP por sonegação de impostos

empresário é acusado de sonegação de impostos e lavagem de dinheiro

Publicidade
Publicidade
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

O empresário Ricardo Nunes, fundador da rede varejista de eletrodomésticos Ricardo Eletro, foi preso na manhã de hoje na Operação Direto com o Dono, deflagrada pelo MP-MG (Ministério Público de Minas Gerais) em parceria com a Secretaria da Fazenda mineira e a Polícia Civil, de acordo com informações da Globonews. Nunes foi preso no estado de São Paulo. O fundador da Ricardo Eletro é acusado de sonegação de impostos e lavagem de dinheiro. Segundo o MP-MG, a operação, que investiga mais empresários do ramo de eletrodomésticos e eletroeletrônicos, apura a sonegação de cerca de R$ 400 milhões em impostos que deveriam ter sido pagos ao estado de Minas Gerais 

A força-tarefa composta pelos três órgãos mineiros cumpre três mandados de prisão e mais 14 de busca e apreensão. A Polícia Civil foi às ruas das cidades mineiras de Belo Horizonte, Contagem e Nova Lima, além de cumprir mandados também em São Paulo e Santo André no estado paulista. Ricardo Nunes teve determinado pela Justiça o sequestro de bens e imóveis seus avaliados em cerca de R$ 60 milhões. Isso porque há indícios de que o patrimônio, registrado no nome de suas filhas, mãe e um irmão, cresceu justamente no período da sonegação de impostos. A decisão judicial tem como objetivo ressarcir o dano causado ao estado mineiro.

Segundo o MP-MG, lojas da rede Ricardo Eletro cobravam dos consumidores impostos embutidos nos preços dos produtos, como o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviço), e depois empresários investigados no esquema embolsavam essa quantia. A investigação que levou à prisão de Nunes ganhou força no ano passado com uma decisão do STF (Supremo Tribunal Federal). Em novembro, a Corte definiu como crime a apropriação do ICMS. O Ministério Público mineiro chegou à conclusão de que Nunes cometeu o crime de lavagem de dinheiro porque o seu patrimônio teve um crescimento vertiginoso justamente à época da sonegação. De acordo com o órgão, o empresário possui de dezenas de imóveis, participações em shoppings na região metropolitana de Belo Horizonte e fazendas. Desde o ano passado, a Ricardo Eletro encontra-se em recuperação judicial, oficialmente sem condições de arcar com suas dívidas, que somavam cerca de R$ 3 bilhões. A rede já fechou várias lojas no país e chegou a encerrar sua operação no Mato Grosso.

Fonte/Créditos: Com informações da Reuters

Créditos (Imagem de capa): Reprodução

Comentários:

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )