Futucando Notícias

MENU
Logo
Sexta, 25 de setembro de 2020
Publicidade
Publicidade

Covid-19

Coronavírus: Crianças podem ser mais contagiosas que adultos, aponta estudo de Harvard

disseminação do novo coronavírus pelas crianças foi largamente subestimado nos últimos cinco meses

Publicidade
Publicidade
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Uma pesquisa conduzida pela Escola Médica da Universidade Harvard (EUA), uma das mais conceituadas do mundo, mostra que crianças podem ser muito mais contagiosas do que adultos, inclusive aqueles em quadro severo da doença, ainda que apresentem apenas sintomas leves.

Os pesquisadores concluíram que o potencial de disseminação do novo coronavírus pelas crianças foi largamente subestimado nos últimos cinco meses da pandemia de Covid-19.

O artigo, submetido ao periódico científico Journal of Pediatrics nesta quinta-feira 20, foi escrito por pesquisadores do Hospital Geral de Massachusetts, que integra a Escola Médica de Harvard.

A pesquisa envolveu 192 pessoas com idades entre 0 a 22 anos que estavam em unidades de atendimento de urgência por suspeita de covid-19. Quarenta e nove deles – um quarto do total – testaram positivo para o vírus.

Os cientistas encontraram níveis de carga viral do vírus consideravelmente mais altos nas vias respiratórias de crianças nas fases iniciais da doença do que nas de adultos internados em unidades de terapia intensiva.

O risco da volta às aulas

A volta às aulas está sendo discutido no Brasil e no mundo. Os pesquisadores do estudo, no entanto, apontam para o risco de as crianças retornarem às salas tendo em vista os novos resultados.

Eles questionam se a reabertura de escolas, mesmo com protocolos sanitários rigorosos, vale o risco para alunos, famílias e educadores.

Sem um protocolo rígido, reforçam os pesquisadores, o risco de a pandemia persistir e mais pessoas, incluindo familiares, serem expostas ao coronavírus com o retorno das aulas presenciais é “significativo”, o que é agravado em regiões mais pobres e vulneráveis

Fonte/Créditos: Carta Capital

Créditos (Imagem de capa): Reprodução Exame

Comentários:

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )