DenúnciaDestaquePolítica

Governo divulga WhatsApp para que caminhoneiros fiscalizem desconto do diesel

BRASÍLIA — Depois de lançar o programa “S.O.S Caminhoneiro”, um canal de WhatsApp para denúncias de casos de violência contra caminhoneiros, o governo lançou, nesta sexta-feira (1) , novo número de WhatsApp para que o consumidor denuncie caso veja algum posto de gasolina vendendo diesel sem o desconto de R$ 0,46. Essa é uma das tentativas do governo para garantir que esse desconto seja repassado ao consumidor, especialmente o caminhoneiro.

“Viu posto vendendo diesel sem o desconto de R$ 0,46, mande WhatsApp”, diz a campanha divulgada pela comunicação do Palácio do Planalto. O caminhoneiro que vir algum posto de combustível descumprindo determinação do governo, poderá mandar mensagem para o seguinte número: (61) 99149-6368.

“Atenção, caminhoneiro! Este é seu canal para denúncia. De hoje até segunda-feira, de acordo com a renovação dos estoques, todas as bombas do País devem oferecer desconto de R$ 0,46 no litro do diesel. Ajude-nos a fiscalizar”, pede o governo, na mesma campanha.

Mais cedo, o governo informou que o diesel com desconto já começou a ser vendido pelas refinarias às distribuidoras. Depois dos primeiros 60 dias, a Petrobras revisará o valor do litro do diesel e, depois disso, as revisões serão feitas a cada 30 dias. O governo prevê que em 72 horas, todos os postos já estejam praticando o preço com desconto. Aqueles que adquiriram diesel sem desconto e ainda têm o produto em estoque podem comercializar esse diesel sem desconto até o estoque acabar.

Na quinta-feira, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, anunciou severas punições aos postos que não repassarem o desconto ao consumidor, entre elas, multa que pode chegar a R$ 9,4 milhões, suspensão temporária das atividades, cassação da licença do estabelecimento e até a interdição do estabelecimento comercial.

Fonte: extra.globo.com
Tags

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.