EntretenimentoInternacionalNotíciasPolítica

Corte de publicidade e chegada da CNN Brasil são duros ataques à Globo, diz site

Bolsonaro defende um projeto de lei que acabe com o ‘bônus de volume’, o instrumento que levou o sistema publicitário brasileiro a uma espécie de ‘cartelização’, com primazia da Globo sobre todas as outras emissoras.

O ano de 2019 parece ser um dos mais desafiadores para o futuro do Grupo Globo, o maior conglomerado de mídia da América Latina, comandado pelo família Marinho. Desde a campanha eleitoral em que saiu vencedor, o presidente Jair Bolsonaro vem dando demonstrações inequívocas de que a Globo não terá prestígio em seu governo.

Uma das primeiras iniciativas concretas de Bolsonaro contra o monopólio da Globo na comunicação do País foi atacar a publicidade da emissora. Bolsonaro defende um projeto de lei que acabe com o ‘bônus de volume’, o instrumento que levou o sistema publicitário brasileiro a uma espécie de ‘cartelização’, com primazia da Globo sobre todas as outras emissoras. O projeto já está escrito, com ajuda dos concorrentes da Globo, e será apresentado ao Congresso pelo ex-ator e agora deputado federal Alexandre Frota (PSL-SP).

Além dessa medida que atinge a publicidade da Globo, a emissora dos Marinho, mais especificamente seu braço de notícias na TV fechada, a Globonews, está sendo atacada em outra frente, na audiência, com o anúncio da chegada da CNN Brasil. A unidade brasileira da emissora norte-americana está sendo viabilizada por meio do empresário Rubens Menin e do jornalista Douglas Tavolaro, biógrafo oficial do bispo Edir Macedo, que é um dos principais apoiadores do bolsonarismo no Brasil.

Com uma equipe de 400 jornalistas, a CNN Brasil estará disponível para assinantes da TV paga como um canal 24 horas e também diretamente para os consumidores, por meio das plataformas digitais. Em entrevista ao 247, Rubens Menin negou que a operação brasileira da CNN terá vínculo com Edir Macedo.

“Eu vinha conversando com diversos grupos de empresários e muita gente estava preocupada com a situação dos grupos de comunicação aqui no Brasil, com problemas financeiros. Isso é muito ruim”, diz o empresário. “Através de amigos em comum fui apresentado a esse projeto da CNN Brasil e achei que era hora de investir”, disse ele.

Jornalisticamente, a Globo já indicou que não vai demonstrar apoio total ao governo, fazendo críticas pontuais em seus veículos e por meio de colunistas, apesar de apoiar as medidas econômicas, como a reforma da Previdência. O capítulo mais recente foi o editorial do jornal O Globo contra o decreto que libera a posse de quatro armas de fogo para cada brasileiro. Para o jornal, a medida é “temerária” e uma “aposta enganosa”. “Difícil desmentir a relação entre mais armas e mais mortes”, defende o texto.

Fonte: Brasil 247/TN
Tags

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.