Veracel extrai eucaliptos em terras de agricultores sem mandado judicial

5 primeira leitura
0

A Veracel Celulose resolveu agir por conta própria e está praticando reintegração sem mandado Judicial.

Foto: Futucando Notícias na Faz. Conjunto São Geraldo (15-03-18)

A Veracel ingressou em 2009 com um processo na Justiça Estadual contra movimentos sociais e adeptos, com o objetivo de tomar a posse de propriedades rurais localizadas na região conhecida como córrego do meio e Água Vermelha, onde segundo informações ela não possui documentos das terras que estão em litígio com os irmãos Geraldo Pereira e Derolino Pereira que alegam possuir documentos que comprovam atividades de agriculturas desde o final dos anos 70.

Na tarde do último dia 14 de março, o agricultor Geraldo Pereira esteve acompanhado de seu Advogado Dr. Mário Júnior Pereira Amorim, onde protocolaram um pedido junto ao INEMA solicitando que fossem apresentadas as  licenças ambientais de plantios e extrações outorgadas à Veracel, concedidas pelo órgão estadual nas propriedades dos irmãos Pereira, após rumores de que para a extração dos eucaliptos plantados nas propriedades Fazenda Boa União 1 e 2 e Conjunto São Geraldo, a Veracel estaria utilizando documentos  de Fazendas Vizinhas com plantios fomentados.

Na manhã de quinta-feira (15), o agricultor Geraldo Pereira foi até a fábrica da Veracel na Fazenda Brasilândia protocolar um pedido para que a empresa multinacional  apresente licenças que autorizem plantios e a extração  de eucaliptos em suas propriedades. Estranhamente o agricultor não foi atendido e não conseguiu protocolar o documento.Em conversa com o FUTUCANDO, Geraldo Pereira se mostrou indignado com a Veracel que já teria recebido em 2014 um protocolo com documentos detalhados mostrando que ele e seu irmão adquiriram as terras há quase 30 anos e tiveram inúmeros prejuízos causados pela Veracel que não investigou as informações e teria ainda forjado documentos que resultaram em uma unificação de terras contrariando a lei que diz que áreas de terras unificadas tem que ser contíguas.

A Veracel usou a unificação para georreferenciar com a anuência do INCRA  as áreas dos irmãos Pereira, usando documentos de um imóvel rural denominado Sítio Esperança que se localizaria em Santa Cruz de Cabrália extremando com a Usina Embaúba há cerca de 21 KM das terras de Geraldo e Derolino, onde deveriam ser plantados e extraídos os eucaliptos. O agricultor irá representar a Veracel por crimes ambientais em suas propriedades cometidos durante vários anos sem nenhuma fiscalização.

Lamentável que a Veracel, empresa multinacional não tenha tomado providências cabíveis para investigar as informações protocoladas em 2014, na própria sede da Veracel, onde apontava  suposta grilagem, contrariando o seu próprio código de conduta que prevê que todas as denúncias encaminhadas para a Veracel Celulose serão apuradas pelo seu “Comitê de auditoria”. 

 

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Denúncia

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Veja Também

MP abre inquérito contra Alckmin para investigar desapropriação que beneficiou familiares

O Ministério Público do Estado de São Paulo MP-SP instaurou nesta segunda-feira (24) um in…